POLÍTICA

Esclarecendo algumas dúvidas sobre a febre amarela

O que é Febre amarela?

A febre amarela é uma doença infecciosa causada por um vírus e transmitida por mosquitos. A infecção pode ser categorizada de duas formas: febre amarela urbana, quando é transmitida pelo Aedes aegypti; ou febre amarela silvestre, quando transmitida pelo Haemagogus e Sabethe.

A doença é considerada aguda e hemorrágica e recebe este nome, pois causa amarelidão do corpo (icterícia) e hemorragia em diversos graus. O vírus é tropical e mais comum na América do Sul e na África. Apesar de ser considerado um vírus perigoso, a maioria das pessoas não apresentam sintoma e evoluem para a cura.

A febre amarela pertence à classificação das arboviroses, , tendo várias diferenças entre a dengue e ao Zika vírus, apesar de pertecerem à família dos Flavivírus.

Casos de Febre Amarela 2017

Em janeiro de 2017, o estado de Minas Gerais começou a investigar 23 casos suspeitos de febre amarela. Além disso, suspeita-se que 14 óbitos podem estar relacionados à doença.

 

No estado de São Paulo algumas cidades também estão em alerta para a febre amarela, como Ribeirão Preto e São José do Rio Preto, devido tanto à morte de macacos, que costumam pressagiar esse tipo de surto, quanto a mais dois óbitos suspeitos de estarem ligados à doença. Um dos casos fatais foi confirmado, mas acredita-se que esteja ligado à transmissão silvestre da doença. O Ministério da Saúde já admite como um surto no Brasil.

O último surto de febre amarela no Brasil ocorreu entre 2008 e 2009, quando 51 casos foram confirmados.

Causas

A febre amarela costuma ser transmitida por mosquitos, principalmente o Aedes aegypti (em áreas urbanas) e o Haemagogus (em áreas rurais). O mosquito é infectado ao picar uma pessoa ou animais com a doença e então desenvolve a doença e passa a transmiti-la para quem ele picar.

Existem dois ciclos da febre amarela:

  • Febre amarela silvestre: em que mosquitos destas regiões se infectam picando primatas com a doença e podem transmitir a um humano que visite este habitat
  • Febre amarela urbana: em que um humano infectado anteriormente pela febre amarela silvestre a transmite para mosquitos urbanos, como o Aedes aegypti, que a espalham.

É importante alertar que em ambos os casos a doença é a mesma, a diferenciação do ciclo de transmissão apenas ajuda nas estratégias para evitar a disseminação da febre amarela.

A pessoa permanece em estado de viremia, ou seja, capaz de transmitir o vírus para mosquitos, por até 7 dias após ter sido picada.

Sintomas de Febre amarela

Muitas pessoas que contraem a febre amarela não apresentam sintomas, e quando os apresentam, os mais comuns são:

Os sintomas nesta fase aguda da doença costumam durar entre três e quatro dias e passam sozinhos.

No entanto, uma pequena porcentagem de pessoas pode desenvolver sintomas mais graves cerca de 24 horas após a recuperação dos sintomas mais simples. Nesta fase chamada de tóxica, o vírus pode atingir diversos órgãos e sistemas, mas principalmente o fígado e rins. Os sintomas dessa fase são:

  • Retorno da febre alta
  • Icterícia, devido ao dano que o vírus causa no fígado
  • Urina escura
  • Dores abdominais
  • Sangramentos na boca, nariz, olhos ou estômago.

Em casos mais graves o paciente pode apresentar delírios, convulsões e até entrar em coma.

Dependendo do dano causado no organismo, esta fase da febre amarela pode levar a morte no intervalo entre sete e dez dias. Por isso, pessoas que são diagnosticadas com febre amarela devem estar atentas ao aparecimento dos sintomas iniciais e observar se os sintomas mais graves se manifestarem, para busca de ajuda médica.

Os sintomas da febre amarela podem ser confundidos com malárialeptospirosehepatite viral e dengue hemorrágica. Já os sintomas de dengue comum também se assemelham, apesar de serem um pouco mais leves.

Prevenção

Além do uso de repelentes, a febre amarela pode ser prevenida através de vacina. A vacina é indicada para quem mora ou for visitar áreas onde a infecção pode acontecer, como a Amazônia. No Brasil, a totalidade dos estados da federação localizados no Norte e Centro Oeste do país, bem como Minas Gerais, são áreas com recomendação para vacinação. Em pequenas áreas litorâneas ao longo do Sul e Sudeste do país não se recomenda a vacinação. No Nordeste, os estados do Maranhão, Piauí e Bahia têm áreas onde a vacinação é recomendada. São disponibilizados mapas tanto no Brasil quanto em outros países, sinalizando áreas onde a vacina é recomendada. Para ver o mapa das recomendações do Ministério da Saúde sobre a vacinação contra febre amarela no Brasil clique aqui.

A vacina

Para quem reside ou vai para áreas de risco é recomendada vacinação a partir dos nove meses de vida. Em situações de alto risco, bebês com mais de seis meses também devem ser vacinados. Gestantes, recém-nascidos, transplantados, pessoas com câncer ou doenças do timo, no entanto, não devem ser vacinadas. Pessoas com mais de 60 anos sem vacinação prévia e pessoas com imunossupressão (por HIV, uso de corticoides ou outros medicamentos) devem procurar aconselhamento médico. Como a vacina é feita com vírus vivos atenuados, há casos raros de doença causada pelo vírus vacinal e estas pessoas estão em maior risco para que isto possa acontecer.

Para que o viajante esteja adequadamente protegido contra os sintomas de febre amarela é recomendado que se vacine no mínimo dez dias antes da chegada ao local de risco.

A febre amarela pode causar doença branda, mas em algumas pessoas a doença pode ser grave, com fatalidade superior a 40%. Por este motivo, a vacinação deve ser realizada quando indicado. A vacina pode causar dor no local onde foi aplicada, febre e mal estar, mas estes efeitos são raros e não graves.

A vacinação contra febre amarela é recomendada em vários países na América Latina e África. O certificado internacional de vacina pode ser exigido e sua falta pode impedir a entrada em alguns países. Por isso, é recomendado checar sempre no site da ANIVSA, e em caso de dúvida, procurar atendimento médico especializado a viajantes. Para saber mais sobre este assunto,

Nem todas as unidades de saúde que vacinam contra febre amarela emitem o certificado internacional de vacinação contra a doença. Para tanto, o viajante deve comparecer às unidades que emitem este documento, portando documento original com foto (RG ou passaporte), o comprovante original da vacinação, tenha ela sido feita em unidade pública ou privada, onde deve constar o número do lote da vacina, data e carimbo que identifique o vacinador e a unidade de saúde. O serviço é gratuito e para saber onde procurar, acesse o site da ANVISA.

Mojuí na Íntegra
Jornalismo Cidadão, Mídia Ativismo e Comunicação Popular
https://www.mojuinaintegra.com.br

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.