EDUCAÇÃO MOJUÍ DOS CAMPOS

Greve completa 07 dias e professores não conseguem diálogo com o Prefeito

A última tentativa por parte dos professores foi feita nesta manhã, mas o Prefeito, simplesmente ignorou a presença dos profissionais. Os professores tiveram que almoçar na grama, após serem proibidos de usar cadeiras da Secretaria Municipal de Gestão Administrativa.

Da Redação

A greve dos professores concursados e efetivos de Mojuí dos Campos, no oeste do Pará, completou uma semana nesta quinta-feira (25) e até agora o comando do movimento não foi recebido pelo prefeito Marco Antônio – MDB.

Na manhã desta quinta-feira (25), representantes do SINTEPP e do comando da greve estiveram na Secretaria Municipal de Gestão Administrativa – SEMGA na busca de reunir com o prefeito. De acordo com relatos dos professores, em primeiro momento os profissionais foram informados por um servidor da SEMGA que seriam recebidos pelo prefeito, mas não garantia a hora. Passadas algumas horas, o Procurador do município, cujo nome não foi informado, foi até os professores dizendo que o Prefeito não os receberiam e que os mesmos desocupassem as cadeiras, que tirassem suas faixas do local e que se fosse para permanecer ali, que dessem seus jeitos. Os professores tiveram que fazer suas refeições no gramado da Secretaria.

Os professores relataram que horas depois, o Prefeito apareceu, mas não deu a mínima para o movimento e só depois das 17 horas que a vice-prefeita Suely Araújo desceu para informar que o mesmo receberá uma pequena comissão amanhã (sexta-feira, 26). Segundo um professor, o Prefeito quer conversar com apenas 04 pessoas do movimento.

Professores tiveram que almoçar no gramado

Durante o ato de destrato por parte do Procurador Jurídico do Município, a fala da professora Edileuza Silva, chamou a atenção. Emocionada a professora destacou sua atuação na educação mojuiense, inclusive levando o município a alcançar o maior IDEB da região do Baixo Amazonas. Professora Edileuza, desabafou, que tem diplomas, fez concursos e não entrou pela ‘janela’ para trabalhar. A professora disse ainda que só está requerendo algo que é seu por direito.

Entenda o caso

No início deste mês os professores foram surpreendidos com um ataque aos seus vencimentos e desrespeito ao PCCR, quando o prefeito resolveu cortar parte das horas destes referente a lotação de 2020. Segundo o Prefeito, os professores só deviam ganhar salário daquele mês de acordo com a carga horária de seu concurso e não da lotação, como prevê o PCCR. Em seguida o Prefeito editou um decreto, segundo ele, regulamentando que o professor efetivo seja lotado só com as horas ofertadas no concurso público.

A partir daí os professores fizeram manifestos e não sendo atendidos resolveram, em assembléia, fazer a greve.

A luta dos professores
• Pagamento da parte dos salários de janeiro, segundo o PCCR; e
• E revogação do decreto, que afronta e legisla sobre o PCCR.

Sobre a remuneração dos professores e o uso do FUNDEB

Os professores são remunerados com recursos do Fundo Nacional para o Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização do Magistério – FUNDEB. Desse fundo, as Prefeituras podem usar até 60% para a remuneração da folha de profissionais do magistério em efetivo exercício, sendo eles: professores; diretores, pedagogos, orientadores educacionais e demais profissionais com funções pedagógicas nas escolas. A outra parte, 40% deve ser usada para custear remuneração e aperfeiçoamento dos profissionais da educação; Aquisição e manutenção de equipamentos escolares necessários à educação básica; Aquisição de material didático e Transporte escolar.

É importante ressaltar que não podem ser custeados com o recurso do Fundeb gastos com alimentação escolar, pagamento de profissionais em desvio de função, entre outros.

O uso indevido do Fundeb pode gerar uma série de transtornos para o município, como pareceres negativos dos órgãos de controle e fiscalização, que podem inclusive responsabilizar o gestor público como pessoa física. Portanto, atente-se às regras de utilização dos recursos do fundo.

Mojuí na Íntegra
Jornalismo Cidadão, Mídia Ativismo e Comunicação Popular
https://www.mojuinaintegra.com.br

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.