POLÍTICA

Instituto Tiradentes já fez vítimas em Mojuí dos Campos: Três vereadores foram apontados pelo Instituto como mais bem avaliados pela população em 2017

Vereador Jesanias Pessoa (PSC)
Vereador Beto Farinha (PSDB)
Vereador Everaldo Camilo (PMDB)

 

 

 

 

 

Na edição do dia 05 (domingo) deste mês o programa jornalístico “Fantástico”, da Rede Globo, levou ao ar uma reportagem mostrando que o Ministério Público está investigando empresas que vendem diplomas e medalhas a prefeitos e vereadores, através de pesquisas falsas e eventos promovidos só para pegar dinheiro de políticos.
Uma dessas empresas é o “Instituto Tiradentes”, que premiou em agosto do ano passado três vereadores de Mojuí dos Campos no Oeste do Pará com a medalha “Alferes Tiradentes”.
Na época o Instituto apontou Beto Farinha (PSDB), Everaldo Camilo (PMDB) e Jesanias Pessoa (PSC) como os três mais bem avaliados pela população após consulta telefônica.
A época os vereadores repercutiram a “conquista”, com notas neste Portal como no link http://Após Pesquisa, Instituto Aponta Os Três Vereadores Mais Atuantes e chegaram até a ficar descontentes com o prefeito e o presidente do legislativo por não conseguirem as passagens e as inscrições para o evento como publicamos neste link  http://Vereadores Não Viajam E Ficam Sem Receber Medalhas De Honra Ao Mérito Por Suas Atuações . Porém, tudo era falso e os vereadores não sabiam.

Para provar que o prêmio não passa de um golpe, o “Fantástico”, com seu repórter se identificando como assessor de um prefeito do interior do Nordeste, pagou para que um prefeito fictício, batizado de “Precioso”, recebesse o prêmio de uma das empresas investigadas. O diploma foi expedido, destacando “Precioso” como um dos 100 melhores prefeitos do Brasil. No entanto, “Precioso” era o nome de um jumento, que foi levado à sede da empresa que distribui os prêmios.
Reportagem da Globo desmascarou farsa da pesquisa que premia prefeitos
O golpe trabalha com o ego dos políticos, especialmente aqueles que gostam de aparecer na mídia. Eles são informados sobre pesquisas que os escolheram como melhores gestores do País, com direito a diploma ou medalha, e convidados para eventos que as empresas chamam de “seminários”. Claro que precisam pagar uma “taxa de inscrição” para participar do evento, em que normalmente é usado dinheiro público.
A Globo investigou a União Brasileira de Divulgação, de Pernambuco, e o Instituto Tiradentes, de Minas Gerais. Segundo a reportagem do “Fantástico”, os eventos para entrega dos prêmios geralmente são realizados em cidades turísticas, até mesmo no litoral brasileiro. A “Tiradentes” chegou a promover eventos em Recife para premiar prefeitos, inclusive de São Paulo.
Sem saber que estava sendo gravado, o dono de uma dessas empresas contou que fatura cerca de R$ 50 mil por evento e que, muitas vezes, adiciona na nota fiscal as despesas com hospedagem em hotéis de luxo. O empresário também admitiu que a “pesquisa” é, na verdade, uma série de no máximo 10 telefonemas a moradores da cidade. “Depois faço em seminariozinho só para dar uma maquiada”, confessou o homem filmado pelo “Fantástico”.
Há casos em que o prêmio é motivo de piada. Um vereador do Rio Grande do Sul, por exemplo, ganhou o prêmio do Instituto Tiradentes como o legislador mais atuante de Terra de Areia. No entanto, o parlamentar havia se licenciado da Câmara havia meses, para assumir um cargo no Legislativo. Até mesmo um prefeito cassado foi eleito como um dos melhores gestores do Brasil.
Mas o caso mais hilário foi o do jumento “Precioso”, anunciado como o apelido de um prefeito do interior do Nordeste. O repórter do “Fantástico” entrou em contato com a empresa e soube que a medalha custaria quase R$ 1,5 mil como “inscrição” para o evento festivo. O valor foi pago em dinheiro na véspera da festividade. Tudo gravado com uma câmera escondida. O diploma e a medalha foram entregues com o nome de “Precioso” estampados. No dia do evento, o jumento foi levado ao local da festa, deixando o dono da empresa nitidamente constrangido. “Ele carregou Jesus Cristo”, disse o empresário, tentando fazer piada com o golpe desmascarado.

PREFEITO GESTOR NOTA 10’ — O “Fantástico”, da Rede Globo, levou o jumento “Precioso” ao local da premiação dos “melhores” prefeitos do Brasil
Investigações
O golpe das empresas que premiam prefeitos e vereadores está sendo investigado pelo menos no Ministério Público do Rio Grande do Sul e no Tribunal de Contas da Bahia. No estado nordestino, prefeituras gastaram quase R$ 100 mil para a premiação de seus prefeitos. Eventuais despesas com viagens e hospedagem dos políticos também estão sob investigação.
No Rio Grande do Sul, o Tribunal de Contas já detectou gastos de municípios de R$ 116 mil em apenas três eventos do Instituto Tiradentes. Ouvido pelo “Fantástico”, o procurador-geral de Justiça do Estado, Fabiano Dallazen, chamou o golpe de “falcatrua” e disse que, nestes casos, há um conluio entre as empresas e o agente público. Dois prefeitos gaúchos já foram denunciados pelo Ministério Público. “Na verdade, eles estão custeando com verba pública uma promoção pessoal”, disse o procurador.

Mojuí na Íntegra
Jornalismo Cidadão, Mídia Ativismo e Comunicação Popular
https://www.mojuinaintegra.com.br