MOJUÍ DOS CAMPOS

Um cartão postal à espera de cuidados especiais

O esforço deve ser de todos para salvar o Beira Rio (ou Cai N’água) de belas histórias. O balneário é um alargamento do rio Mojuí ao cortar a cidade de Mojuí dos Campos. O rio banha diversas comunidades em seu trajeto até desembocar no Rio Moju.

Por Eduardo Enrique*

Quem está longe ou até mesmo quem há muito tempo visitou Mojuí dos Campos, tem uma lembrança e até uma saudade do igarapé do Cai N’água (para os atuais, Beira Rio). Era o ponto de encontro da criançada pular n’agua e se divertir. O balneário fica no Centro da cidade de Mojuí dos Campos e feito pelo alargamento do rio Mojuí, igarapé que corta a cidade e banha diversas comunidades até desembocar no Rio Moju.

Esse local, que já, foi muito visitado e requisitado por moradores e visitantes, ao longo dos últimos anos tem ficado abandonado e apesar de estar a vista de todos, parece não ser avistado pelas autoridades do município, principalmente às ambientais.

Logo após a instalação de município, o Beira Rio recebeu uma certa atenção com a construção de passarelas em volta de suas márgens, mas nenhum trabalho de contenção de sedimentos arremessados pelas chuvas foi pensado ou construído. Para se ter uma ideia, o esgoto da cidade foi canalizado para o Rio, sem nenhum tratamento.

Passarelas de madeiras foram construídas há mais de 05 anos. Arquivos Mojuí na Íntegra

Os trabalhos feitos no final da rua Ipiranga, com aval da Secretaria de Meio Ambiente, só serviram para facilitar o assoreamento, inclusive, foi motivo de chacota pelo surgimento de praia no Beira Rio. Para quem não lembra, todo o aterro colocado no fim da rua, foi levado pelas águas da chuva para o leito do rio. Desde então nada foi feito para melhorar um dos cartões postais da cidade mojuiense. Atualmente, a coloração amarelada da água tem afastado banhistas.

Atualmente, águas escuras após fortes chuvas. Arquivos Mojuí na Íntegra

Agora não adianta chorar o leite derramado ou encontrar culpados. É preciso um olhar mais cuidadoso , mais sensível e sobretudo um carinho ambiental para traçar um planejamento de recuperação do Beira Rio (Cai N’água) com um projeto de tratamento das águas domiciliares, que hoje são despejadas no rio.

A nova gestão que assumiu a Prefeitura tem pregado trabalhar pelo desenvolvimento com sustentabilidade e para isso, justificou que escolheu uma equipe técnica para tocar os projetos e ações no município. Espera-se, que mesmo com a chegada do inverno, seja traçado um planejamento, não de revitalização, mas de salvação, para que o nosso Beira Rio, volte a ter vida.

Vai precisar de ousadia e empenho, de pelo menos duas pastas (meio ambiente e infraestrutura) para inovar e transformar aquele local em um espaço atrativo, não só lembrado, mas visitado e requisitado no município.

*É editor, repórter e professor

Mojuí na Íntegra
Jornalismo Cidadão, Mídia Ativismo e Comunicação Popular
https://www.mojuinaintegra.com.br

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.